Ad Eternum.

por daniellecruz

Essa tristeza que não passa nunca
é a tuberculose dos inconformados.

É algo como o beijo de adeus que nunca tive
nas despedidas que só existem em minha mente,
é como ver o amor platônico virando a esquina com teu pior inimigo, 
é como uma úlcera já sem tratamento
que cisma em sangrar  constantemente.
Essas minhas lágrimas são como uma fonte
saciando a sede do meu monstro interior.

É a roda na qual corre o rato, 
a última dose do boêmio que insiste
nos rabos de saias inalcançáveis
que desaparecem pela madrugada.
É a fome das onze, o ciúme do descontrolado,
um abraço frouxo de quem se ama, 
e o rancor de quem já não diz nada.
Anúncios