por daniellecruz

eu era muito rock ‘n roll pra tua bossanova
e ainda assim encontrei em teu peito um magnetismo louco:
era aquilo – eu pensei – e mais de tudo um pouco,
o desejo que nascia naqueles trinta metros cúbicos
e desaparecia no segundo e que se ia pela porta.
jamais senti tua falta a não ser em noites frias,
nas quais despida de pudores chamei teu nome em dedos úmidos
e quanto mais lentamente a noite se esvaía
mais intensos eram teus lábios em meus segredos mais profundos.
aprendia outras linguagens e gritava nomes feios,
meu suor escorria sem pressa pelas tuas costas quentes.
e enquanto tu conquistavas minhas terras lentamente
outros nomes se cravavam nas entranhas de meu seio.

Anúncios