silêncio.
o teu silêncio escorre pelo meu rosto
e, salgado, encontra meus lábios quentes
traça padrões confusos em minha pele.

tua ausência lateja em meu peito,
tão presente nas vibrações extremas.

todas as músicas que nunca ouvimos
ecoam pelos meus ouvidos
as vinte e quatro horas do dia
e mais.

a tua imagem indo embora,
tão passional, fervoroso, completo,
domina minha mente num filme perturbado.
sem sentido.

silêncio.
no hay banda.

não há nada.