proa e vela

cada suspiro é uma remada

Mês: agosto, 2008

quando ela sorri
tem esse sorriso de menina sapeca, moleque travesso
que subiu na arvore pra roubar manga do vizinho
se lambuzar inteira e ser feliz.

quando ela sorri
eu sei que meu coração vai ficar em pedaços
que eu vou sentir falta dos nossos não-abraços
das mãos nunca dadas, de estar do lado
das vezes que eu não disse o quanto gostava.

quando ela sorri
vai doer os dias que não passamos juntas
as verdades que eu não tive coragem de falar
tudo que deixamos de fazer por medo
as possibilidades que fizemos questão de esconder

quando ela sorrir
eu vou saber que não leu essas palavras
porque prometi não te fazer chorar
e simplesmente ir

simplesmente ir.

me perdi fantasiando
nos desenhos do teu corpo
sua mão na minha nuca
tua voz nos meus ouvidos
ecoa.

eu gosto dessa dor aguda
que é sentir a tua falta
você, inexistente,
teus sutis defeitos
sabor de fruta proibida
molecagem
coisa errada.