Grita.

por daniellecruz

Eram duas negras gêmeas
Na última casa da vila
No sobrado branco mais antigo
Coberto de telhas quebradas.

Ciranda sempre de branco
Jussara de rendas vermelhas
Dançavam num ritmo estranho
Gargalhadas que ecoavam.

Enquanto Ciranda se fazia
Jussara já se entregava
De noite era pomba-gira
De dia era esculacho.

Um dia as duas descalças
Gritando e levantando a saia
Sangravam como o diabo
E achavam naquilo toda a graça.

Assim Deus pôs fim às suas vidas
Como uma macumba que deu errado
Jussara havia arrancado as ligas
e Ciranda seus pulsos cortado.

Eram bruxas e feiticeiras
Eram mulheres desejadas
Eram as duas partes do meu ego
Meus exus estilhaçados.

Anúncios